Sobre tudo

Em setembro de 2016 fui a Findhorn, na Escócia e lá conheci um dos lugares mais incríveis do mundo (para quem acha que não é desse mundo!). Voltei de lá e em pouco tempo já estava com planos de me mudar para Vila Velha.


Fiz algumas viagens para cá no ano de 2016 ainda e , depois, em 2017. Visitei algumas vezes o Farol de Santa Luzia. Tive recordações de infância, de estar ali com minha mãe (memórias confusas...eu achava que era uma igreja, mas percebi que tinha sido ali no farol). Minha mãe nasceu ali perto, morou até se casar, em 1957. Numa outra visita descobri que o farol veio da Escócia (hummm)...mais tarde, que meu avô trabalhou como faroleiro (olha...que legal!). E aí a minha relação com esse farol tem sido de encantamento. Sempre que posso levo amigos lá para verem a vista, que é maravilhosa, e para sentir essa energia...


Uma energia que tem me apontado...como a luz do farol...um caminho, uma direção...e uma conexão. A Casa da Lila (lembra...Lila é diversão em sânscrito e Dalila é minha vó...que gerou minha mãe ali ...perto do Farol...) nasceu da vontade de ter um local que reúna pessoas...com um propósito em comum...que é cuidar de Gaia...cuidar da Terra...num contato harmonioso com a natureza.


Lá na fundação eles dão nome a todas as máquinas, porque acreditam que tudo é vivo (afinal tudo parte de matérias vivas), e já estou por aqui a colocar nome na minha máquina de lavar ...na bomba de água que tem no quintal (ela parou de funcionar de novo e acho que é porque ainda não acertei um nome que ela goste...). Penso então que o farol está lá...há tantos anos...silencioso em palavras, mas amando ver sua luz iluminar nossos corações...e nossas histórias...que ainda serão muitas, com certeza!